Você tem dor de dente? Conheça as causas mais comuns

A dor de dente é um problema que afeta boa parte da população em qualquer faixa etária. Geralmente esse incômodo costuma surgir de maneira repentina e é considerado por muitas pessoas uma das piores sensações, chegando a se tornar insuportável. Caso não seja tratada, ela poderá gerar outras complicações mais sérias e atrapalhar a rotina do indivíduo.

Por isso, no artigo de hoje, separamos algumas causas mais comuns da dor de dente para ajudar você a descobrir o que fazer e como tratar o problema. Continue lendo e confira!

Quais são as principais causas da dor de dente?

Normalmente, a dor de dente acontece quando há uma inflamação na polpa dentária, que é a estrutura interna composta por terminações nervosas, receptores de dor e vasos sanguíneos. Consequentemente, ela proporciona um grande incômodo para a pessoa, já que a dor de dente tem causas variadas — que pode ser no próprio dente ou em locais próximos a ele, abrangendo a face e o maxilar.

Algumas causas mais comuns da dor de dente são:

Cáries

A cárie é causada por bactérias que desmineralizam o esmalte e destroem a dentina. Essas bactérias vivem naturalmente na nossa boca e utilizam o resto de alimentos para crescer e transformá-los em ácidos, que provocam desmineralização na superfície do esmalte, a primeira camada do dente. Em um estágio mais avançado, a cárie atinge a dentina — que é a segunda camada do dente — e, se não for tratada, ela penetra na polpa do dente, onde se localizam as terminações nervosas e sentimos dor.

Sensibilidade

A dentina é revestida pela gengiva e o esmalte do dente e, quando há o desgaste do esmalte ou retração da gengiva ocasionada por traumas ou escovação muito forte, a dentina fica exposta. Com isso, substâncias que entram em contato com os dentes, principalmente alimentos muito quentes ou frios e, tendem a ficar próximos das terminações nervosas, aumentando a sensibilidade dos dentes.

Inflamação da gengiva

A má higienização causa o acúmulo de bactérias e a gengivite é o primeiro estágio da inflamação. Com o avanço da inflamação, pode haver a retração da gengiva e exposição da raiz do dente, deixando a região bastante sensível, ou ainda evoluir para uma periodontite e criar um espaço entre o osso e o dente, afetando diretamente os nervos e causando dores insuportáveis.

Bruxismo

Essa é uma condição bem comum, que pode causar dor não só no dente, mas em toda a cabeça. Isso porque o transtorno faz com que que o paciente aperte ou ranja os dentes inconscientemente — principalmente durante o sono — e se desgastem, expondo a dentina e causando dores nos dentes. Além da dor de dente, a tensão elevada gerada pelo bruxismo sobre a articulação da mandíbula pode trazer fortes dores de cabeça.

Fraturas

Muitas vezes, comer algum alimento mais duro, ranger os dentes ou, até mesmo, levar uma pancada próxima da boca pode resultar em uma despercebida rachadura no dente. Porém, com o passar do tempo, ela pode causar sensibilidade e dor.

Problemas no siso

Também conhecida como pericoronarite, o processo inflamatório dos tecidos moles que circundam o siso também causa dor de dente. Isso acontece devido ao mau posicionamento do siso, que geralmente faz pressão na gengiva ou nos ossos maxilares, causando desconfortos e dores.

Como identificar os sintomas?

Normalmente, a dor de dente costuma aparecer de maneira repentina, podendo variar de um incômodo rápido a um grau de severidade mais elevado. Quem sofre desse desconforto poderá sentir palpitações constantes ou intermitentes no maxilar, cabeça ou orelha. Porém, normalmente, a dor piora quando temos que comer ou beber, sobretudo alimentos e bebidas que estejam bastante quentes ou gelados.

Além disso, o maxilar da região do dente afetado pode estar extremamente sensível ao toque. Essa dor pode piorar quando a pessoa se deita, devido ao aumento da pressão sobre o local do dente.

Contudo, os sintomas mais típicos da dor de dente abrangem desconfortos em diversas regiões, como:

  • dor ao mastigar e no maxilar;
  • sangramento das gengivas;
  • inchaço na volta do dente;
  • dores de cabeça e ouvido.

Esses sintomas, quando não tratados, podem fazer com que a dor dure até a destruição total do dente e das terminações nervosas. No entanto, quando o paciente recebe o tratamento adequado, geralmente a dor durar nos primeiros dois dias, já que no terceiro dia o inchado e a inflamação são reduzidos.

Como é feito o diagnóstico?

Quando sentir dor de dente, o ideal é procurar com a maior rapidez o dentista. Isso porque somente ele poderá realizar o diagnóstico e examinar as gengivas e os dentes para identificar o problema, que, muitas vezes, é tratável sem maiores transtornos logo no início.

Normalmente o dentista utiliza diversas técnicas para auxiliar na descoberta da causa da dor de dente, como análise visual, que busca por sinais de vermelhidão, lesões e possíveis inchaços nas gengivas que indique a dor de dente. Nesse caso, ele poderá lavar a região com água morna para eliminar os restos de alimentos para, posteriormente, testar a sensibilidade dos dentes com substâncias quentes ou frias.

Além disso, o dentista poderá solicitar um exame de raios-X e até tomografia para identificar a presença de fraturas, cáries e outros problemas no dente e no osso do maxilar. Porém, se a dor for intensa, ele poderá receitar analgésicos para aliviar o incômodo.

Como é realizado o tratamento?

Após o diagnóstico a dor de dente deve ser tratada o mais rápido possível a fim de evitar o surgimento de infecções. Se a dor de dente for causada por cáries, o dentista remove a bactéria e parte do dente que estiver danificado com o auxílio de uma broca e substitui por materiais, como liga de prata, porcelana, ouro ou resina composta.

Porém, se o dente já estiver totalmente infectado, o tratamento de canal poderá evitar que ele seja extraído. Para isso, o centro do dente — incluindo a polpa e os nervos — são removidos junto com as partes prejudicadas do dente. Posteriormente, as raízes são vedadas com preenchimento e, se necessário, posiciona-se uma coroa sobre o dente.

Por outro lado, se a causa da dor é decorrente da inflamação na gengiva, nos estados iniciais, o tratamento normalmente costuma ser muito simples, onde é feito remoção da placa bacteriana em associação com as boas práticas de higienização bucal. Mas se a inflamação já estiver avançada, o procedimento deve incluir a restauração da saúde oral, ou seja, além da limpeza completa dos dentes, será necessário que as raízes dos dentes também sejam limpas.

De fato, as causas da dor de dente são várias, por isso, caso sentir qualquer incômodo ou alteração, mesmo que pareça passageira, não deve ser negligenciada. O ideal é procurar por auxílio de um dentista para que o problema não se torne algo mais grave. Dessa forma, investir em prevenção, higiene bucal e manter uma rotina de vistas a cada seis meses ao dentista é a melhor forma de não correr o risco de ser surpreendido por uma dor desconfortável e repentina.

Agora que você já conhece as causas mais comuns da dor de dente, que tal manter-se informado e receber novidades? Assine nossa newsletter e fique por dentro das principais informações do nosso blog.

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *