Quais são as causas da tontura?

De maneira genérica, podemos denominar como tontura a sensação de desequilíbrio do corpo humano. Diversas questões afetam os centros de equilíbrio do nosso sistema nervoso, fazendo com que surja a ilusão de que estamos em movimento, quando na verdade não estamos. Entre esses sintomas de desequilíbrio, podemos destacar a sensação de queda, instabilidade ou, até mesmo, a impressão de flutuação.

Vale citar ainda a diferença entre tontura e vertigem. Denomina-se vertigem a manifestação de desequilíbrio que provoca a sensação de que o indivíduo está girando, o que pode até mesmo dar origem a enjoos. Ou seja, a vertigem figura entre um dos sintomas possíveis em um quadro de tontura.

A tontura costuma surgir a partir de diversos fatores, mas é importante saber que alguns deles podem ser bastante graves. Pensando nisso, separamos abaixo algumas das principais informações sobre a tontura e as suas causas. Confira, a seguir, e saiba tudo sobre o assunto!

VEJA TAMBÉM NOSSOS EBOOKS:
Check-list: o que fazer antes de começar uma atividade física?
Guia completo para emagrecer com saúde
Guia das vitaminas e minerais
Guia prático sobre vacinação
Guia prático para ter uma gravidez tranquila e saudável 

Causas da tontura

O equilíbrio corporal depende, diretamente, de uma relação harmônica entre o processamento de informações do sistema sensorial e motor do corpo. Existem centros nervosos que, a partir da interação entre esses sistemas, são responsáveis pela nossa noção de localização e estabilidade no espaço.

O labirinto consiste em uma estrutura pertencente ao ouvido interno do corpo humano e, desempenha basicamente, um papel mecânico no estabelecimento do equilíbrio corporal. Por ser um órgão de atividade bastante intensa, a falta de suprimento energético e de oxigênio para o ouvido é extremamente prejudicial ao seu bom funcionamento.

De maneira simplificada, pode-se dizer que o sistema nervoso central interpreta o posicionamento de um líquido denominado de endolinfa, presente no labirinto, para determinar a posição do nosso corpo no espaço. Dessa forma, qualquer alteração no funcionamento desse sistema pode acarretar em manifestações de desequilíbrio que constituem a tontura.

Entre essas alterações, podemos citar a chamada labirintite, que é uma inflamação do labirinto. Essa inflamação pode causar prejuízos não apenas ao equilíbrio do corpo, mas também à audição do indivíduo, além de gerar sintomas como mal-estar, enjoo, sensação de queda e flutuação, vertigem e zumbidos.

Entretanto, a determinação de equilíbrio corporal também é feita a partir de outros fatores, como a visão e o chamado sistema de propriocepção. A propriocepção consiste na capacidade que o organismo tem de interagir com o espaço, de modo a determinar a sua orientação e a sua localização nele. Essa questão é determinada pela interpretação de diversos aspectos sensoriais do corpo sem o auxílio da visão.

Ou seja, qualquer alteração no sistema vestibular (referente ao ouvido), na propriocepção ou na visão pode gerar manifestações de falta de equilíbrio, caracterizando a tontura. São alguns exemplos de causas:

  • traumatismo craniano;
  • doenças no ouvido, na visão e neurológicas;
  • alterações hormonais;
  • medicamentos;
  • álcool;
  • cafeína;
  • abuso de drogas;
  • problemas na medula espinal;
  • infecções;
  • carência de vitaminas e de alguns minerais;
  • entre outras condições que prejudiquem o estabelecimento de um metabolismo corporal harmônico.

Tratamentos para a tontura

O tratamento para tontura possui, essencialmente, 3 abordagens distintas:

  1. tratamento da causa;
  2. tratamento dos sintomas;
  3. e reabilitação vestibular.

O tratamento das causas consiste em uma conduta médica relacionada ao combate à patologia que provocou as alterações responsáveis pelo quadro. Esse tratamento pode ser feito a partir de medicação anti-inflamatória, controle da glicemia, reeducação alimentar ou qualquer outra conduta terapêutica que auxilie no combate à causa base da tontura. Assim, cabe ao médico responsável investigar as causas da tontura, além de determinar a melhor forma de tratamento.

No que se refere ao tratamento, podemos destacar as medidas que aliviam os sintomas da tontura. Costumam ser utilizados medicamentos vasodilatadores, com o objetivo de favorecer a circulação sanguínea, de modo a melhorar o aporte de sangue na região do ouvido. Além disso, é possível que a utilização de medicamentos antidepressivos, antioxidantes e anticonvulsivantes também apresentem efeitos sobre os sintomas de tontura, de acordo com o fator que desencadeou o quadro no paciente.

É importante lembrar que a automedicação é sempre uma prática contraindicada pelos profissionais de saúde. Muitas medicações podem ter efeitos positivos para amenizar os sintomas de tontura, mas é bastante provável que esses sinais retornem. Assim, é sempre desejável garantir a orientação de um médico na escolha da medicação para esses tratamentos.

Já a reabilitação vestibular consiste em um tratamento que recondiciona o sistema de equilíbrio do ouvido interno, a fim de fazê-lo funcionar de acordo com a normalidade. A partir da orientação de um profissional especializado, são feitos exercícios com o objetivo de “estimular” o labirinto e, assim, restabelecer as respostas corretas aos movimentos, de modo a resgatar as condições de equilíbrio corporal.

Dicas para evitar a tontura

Toda e qualquer conduta que prese pela manutenção de um estilo de vida saudável pode ser considerada como preventiva para o caso de tonturas. Podemos destacar as seguintes medidas que contribuem para essa manutenção da saúde:

  • o consumo moderado e consciente de álcool
  • a abstenção do tabagismo e do consumo de drogas.

Afinal, esses hábitos nocivos costumam afetar diretamente a saúde do ouvido, favorecendo o desenvolvimento de distúrbios neurológicos que afetam o equilíbrio corporal.

A prática de atividades físicas regulares também é extremamente importante na prevenção de tonturas, além de uma série de outras doenças. Por ser uma condição de origem multifatorial, os exercícios trazem benefícios nesse sentido.

Alimentar-se corretamente é também uma das formas de evitar o aparecimento de tonturas. Quando somos expostos a uma situação de jejum prolongado, há alterações significativas na liberação de insulina pelo pâncreas — o que pode provocar tonturas. Para evitar esse tipo de situação, é recomendável realizar refeições sempre a cada 3 horas.

Além disso, a realização de visitas periódicas a um consultório médico é uma das maiores dicas para a prevenção de tontura. Esse problema pode ter causas graves, portanto, somente um profissional de saúde especializado chegará a um diagnóstico e indicará o início de um tratamento adequado para o paciente. Negligenciar a importância de uma consulta médica em casos de tontura pode acarretar o desenvolvimento de condições mais graves.

Gostou de saber mais sobre as causas da tontura? Siga nossos perfis nas redes sociais — estamos no Facebook, no Instagram e no Twitter — para sempre ficar por dentro de conteúdos como este!

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *