Hemorroida: o que é e como tratar

A maioria das pessoas já deve ter ouvido falar em hemorroida, contudo não sabem direito no que consiste essa doença. Existe muito preconceito com a condição, já que ela envolve um local íntimo, o ânus. Mas ela é mais comum do que pensamos, já que cerca de 5% da população sofre com a enfermidade.

Você descobrirá, agora mesmo, tudo o que precisa saber sobre a hemorroida: o que é, quais os tipos, as causas e os sintomas, como é identificada e de que maneira pode ser tratada. Confira!

O que é hemorroida?

Assim como as varizes, a hemorroida consiste na dilatação das veias do ânus e do reto, as veias hemorroidais, o que dificulta o fluxo de sangue nesses locais. Os vasos inchados e inflamados causam dor, coceira e sangramentos indesejados.

Existem dois tipos mais comuns, as hemorroidas internas, que aparecem no interior da região anorretal, parte final do intestino, e as hemorroidas externas, exteriores ao canal anal, na sua borda. As internas, mais preocupantes, também são classificadas de acordo com seu grau de desenvolvimento.

  • 1º grau: as hemorroidas internas permanecem escondidas no interior do ânus;
  • 2º grau: as hemorroidas internas são exteriorizadas no momento da evacuação, mas retornam para dentro espontaneamente;
  • 3º grau: as hemorroidas internas são exteriorizadas no momento da evacuação e precisam de auxílio manual para retornarem ao interior do canal;
  • 4º grau: as hemorroidas internas ficam permanentemente exteriorizadas e não retornam mesmo com auxílio manual.

Quais são suas principais causas e fatores de risco?

Ainda não se compreende por completo o que causa a doença hemorroidária, mas a condição é geralmente associada à evacuação dificultosa, que gera necessidade de esforço.

O avanço da idade é um dos fatores de risco dessa doença, assim como a constipação crônica. A gravidez, possivelmente pelo aumento de peso e pela pressão na região pélvica, torna o aparecimento dessa disfunção frequente.

Histórico familiar da doença, ficar muito tempo sentado para evacuar e uma dieta desbalanceada aumentam o risco de desenvolver hemorroida. Os maus hábitos como alcoolismo e fumo, podem ter uma contribuição indireta por acarretarem a desregulação do organismo.

Quais sintomas pode apresentar?

Os sinais mais comuns da hemorroida são a dor local durante a evacuação, assim como a presença de sangue, em geral, vermelho vivo, nas fezes ou no papel higiênico, após a limpeza do local. Coceira e dor ao sentar também são frequentes.

A exteriorização das hemorroidas de dentro do ânus, fissuras e palpação de nódulos são evidências claras de que é necessário procurar um médico, já que a situação demonstra um quadro mais avançado.

Como podem ser identificada?

As hemorroidas externas são de fácil identificação já que apresentam os sintomas claros, nódulos palpáveis, dor acentuada e coceira intensa. As internas, por outro lado, são mais difíceis de serem notadas. Os sintomas da doença são muito parecidos com outras enfermidades intestinais, inclusive com alguns tipos de câncer. A boa notícia é que a hemorroida não pode evoluir para um tumor maligno.

Apesar do imenso constrangimento que a enfermidade causa, é importante procurar auxílio médico — o mais rápido possível — a fim de controlá-la. Quanto mais cedo, maior as chances de garantir a cura sem necessidade cirúrgica. O diagnóstico é feito por exame proctológico e por anuscopia, que são indolores e realizados por profissionais.

De que maneira ajudo a me tratar?

1. Beba água e coma fibras

A alimentação rica em fibras e a abundante ingestão de água melhoram a consistência do bolo fecal, tornando-o mais macio, facilitando a evacuação pela melhora do trânsito intestinal. É uma dica de tratamento e serve como uma prevenção contra o aparecimento dessa condição.

2. Evite a limpeza com papel

É isso mesmo que você leu! O papel higiênico pode irritar a região anal e causar um agravamento da situação. Os especialistas recomendam a lavagem da região com água e sabão e, se isso não for possível, a utilização de lenços umedecidos. Essa prática é interessante mesmo para quem não tem a doença.

3. Experimente o banho de assento

Sentar em uma bacia ou uma banheira com água morna, durante 15 a 20 minutos, pode ajudar a aliviar as dores e incômodos na região anal que está inflamada.

Grávidas e crianças que tiverem dificuldade podem substituir a iniciativa por compressas de panos umedecidos. Lembre-se de trocá-los constantemente: eles proporcionarão o alívio parecido com o banho.

4. Evite fazer esforço

A força excessiva para evacuar, levantar peso, fazer musculação e qualquer tipo de esforço físico em demasia durante a crise têm a capacidade de agravar a situação, já que aumentam a pressão local.

5. Visite o médico

Talvez a mais importante das dicas de tratamento seja procurar um especialista. O médico avaliará o seu caso, conseguirá discernir o que causou o aparecimento dessa situação e será capaz de dar orientações específicas a fim de melhorar sua qualidade de vida. Além disso, somente com os exames adequados podem ser excluídas as possibilidades de causas malignas.

O profissional poderá indicar cremes e pomadas para uma melhor lubrificação do local, assim como o uso controlado de laxantes, se necessário. Todo o tratamento deve ser acompanhado por um especialista para que a condição não se agrave.

6. Passe pela cirurgia se indicada

Se nenhuma dessas atitudes melhorar a sua situação, procedimentos como ligadura elástica ou a cirurgia propriamente dita podem ser indicados por um especialista para a remoção da hemorroida. Portanto, quanto antes for iniciado o acompanhamento médico e o tratamento clínico, menor a possibilidade de uma evolução que necessite de métodos invasivos.

A intervenção cirúrgica requer internação e pode ser feita pelo método convencional ou por grampeamento. Ela é o tratamento de escolha para hemorroidas internas de grau IV e seu pós-operatório consiste nos cuidados descritos nos itens acima.

7. Cuide dos idosos e das crianças

Sabemos que crianças e idosos necessitam de maior atenção, já que tendem a esconderem ou não perceberem o sangramento nas fezes. As intensas medicações dos mais velhos podem afetar o ato de defecar e eles se tornam mais propícios ao aparecimento da doença. Fique atento à coceira e queixas de dor.

A prevenção é, na maioria das vezes, a melhor forma de enfrentar as doenças. Mantenha-se atento aos sintomas, cuide de sua dieta e conserve hábitos saudáveis para garantir uma melhor qualidade de vida.

Você entendeu o que é a hemorroida, quais são as suas causas, como identificá-la, tratá-la e tirou suas dúvidas sobre o assunto? Se você se interessa por conteúdos relacionados à saúde e quer estar sempre antenado, assine a newsletter e receba nossas notícias.

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *