Gripe, resfriado ou virose: entenda as diferenças

Gripe, resfriado ou virose? Saber a diferença entre essas condições clínicas e o que fazer em casos mais graves é a grande dúvida de muitas pessoas. A primeira lição para resolver esse dilema é compreender os conceitos de cada termo.

Primeiramente, precisamos compreender o termo virose, que significa doenças causadas por vírus. Esses micro-organismos são seres dependentes que se tornam “ativos” somente quando penetram nas células dos seres humanos ou animais.

Apesar dessa particularidade em comum, cada grupo de vírus terá gravidade de sintomas de acordo com suas singularidades. Dessa forma, as doenças virais podem ser mais complexas ou brandas e, por isso, as condutas terapêuticas serão diferentes.

Fique de olho nas informações no post de hoje e tire suas dúvidas!

VEJA TAMBÉM NOSSOS EBOOKS GRATUITOS:
Check-list: o que fazer antes de começar uma atividade física?
Guia completo para emagrecer com saúde
Guia das vitaminas e minerais
Guia prático sobre vacinação
Guia prático para ter uma gravidez tranquila e saudável 

Entenda o termo virose

As viroses são causadas por vírus que invadem tecidos e órgãos, causando inflamação e problemas na função dessas estruturas. As células invadidas pelos vírus tendem a reproduzir o material genético viral para criar cópias desses micróbios.

Com isso, o número de vírus aumenta exponencialmente, gerando complicações clínicas e debilitando os indivíduos. Exemplo disso é o vírus do resfriado, que penetra nas vias aéreas e promove vasodilatação das narinas, ocasionando congestão nasal.

Existem ainda as viroses mais graves, que comprometem o sistema reprodutor (vírus HPV), fígado (vírus da hepatite C), o sistema de defesa (vírus HIV), mucosas oral e vaginal (vírus da herpes), sistema circulatório (vírus da dengue) etc.

Conheça as características do resfriado

Os vírus do resfriado são, principalmente, do tipo rinovírus, que têm preferência pelas células das vias aéreas e provocam uma série de sintomas quando penetram nesses locais. Haverá liberação de histamina, uma substância que causa dilatação dos vasos sanguíneos do nariz.

Com isso, ocorre um acúmulo de secreção das narinas, que dificulta um pouco a respiração. 

O resfriado é uma doença autolimitada, ou seja, possui uma duração de alguns dias e, normalmente, as células de defesa do corpo (sistema imunológico) conseguem eliminar o vírus e a pessoa não fica com sequelas importantes. Além disso, o tipo de vírus e a imunidade do indivíduo infectado influenciam nesse processo.

Como medidas paliativas, é importante ingerir bastante líquido para ajudar a fluidificar as secreções e facilitar a eliminação desse líquido. A aplicação de soro fisiológico nas narinas também ajuda nesse quadro.

Aprenda sobre as particularidades da gripe

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os termos resfriado e gripe não podem ser usados como sinônimos, pois são doenças completamente distintas. A gripe é uma patologia mais séria e precisa de cuidados intensos para evitar complicações respiratórias.

Os vírus causadores da gripe são do tipo influenza e, nessa infecção, o paciente apresenta os principais sintomas entre poucos dias após o contágio. Essa condição pode evoluir rapidamente se não for tratada adequadamente.

A gripe é uma doença que começa de forma rápida, com:

  • febre alta (acima de 38°C);
  • dores musculares;
  • cansaço;
  • dor de garganta;
  • cefaleia;
  • tosse seca;
  • rouquidão;
  • olhos vermelhos e lacrimejantes.

As complicações clínicas da gripe são decorrentes da migração desse vírus para a árvore brônquica e pulmão, podendo levar à síndrome respiratória aguda e agravar o estado de saúde de pacientes cardiopatas e hipertensos.

Conheça as medidas terapêuticas para o resfriado

O tratamento do resfriado é destinado aos sintomas e não devem ser utilizados antivirais ou antibióticos. Os medicamentos de venda livre, como analgésicos, antitérmicos e descongestionantes nasais associados às medidas não farmacológicas, costumam resolver o problema.

Medicamentos de venda livre devem ser utilizados mediante orientação médica e farmacêutica, uma vez que esses profissionais selecionarão a melhor opção terapêutica conforme os sintomas clínicos relatados. Tendo em mente que o resfriado dura em torno de 7 dias, não é recomendável estender esse uso por longos períodos.

Considerando a duração da doença, é importante respeitar a fraqueza do paciente e a falta de apetite que serão normalizadas após a eliminação do vírus pelo organismo. E lembre-se de sempre procurar uma ajuda médica.

Saiba quais são as estratégias medicamentosas da gripe

A gripe é uma condição que poderá ser tratada com medicamentos antivirais e deve ser acompanhada por médicos especialistas. Dependendo da evolução da doença e da condição clínica do indivíduo, é necessário recorrer à internação hospitalar.

Mas para ter certeza do diagnóstico, o paciente precisará ser encaminhado para o exame que detecta o tipo de vírus e as principais medicações recomendadas para essa situação clínica. Isso porque existem muitas variações do vírus da gripe e poucas medicações disponíveis.

Em relação aos medicamentos mais potentes, podem surgir reações adversas desagradáveis, como:

  • náuseas;
  • vômitos;
  • diarreia;
  • dores abdominais;
  • fraqueza;
  • cansaço;
  • e outros sintomas menos comuns.

A gripe é uma doença com incidência menor do que o resfriado e, em alguns casos, surge como surtos. Exemplos disso são os casos de gripe aviária, gripe suína etc.

As formas de contágios são as mesmas do resfriado, mas em casos de epidemia é importante manter-se afastado de ambientes com muita aglomeração de pessoas.

A vacina da gripe é um tratamento profilático recomendado para a população mais vulnerável, como idosos, diabéticos, gestantes e crianças menores de 5 anos. O Ministério da Saúde disponibiliza essa vacina nos meses que antecedem o inverno, período de maior incidência da doença que culmina com complicações respiratórias.

Conheça medidas preventivas para o resfriado

Como se trata de um rinovírus — e esses micro-organismos apresentam mutações —, é quase impossível manter-se imune a essas doenças. A única prevenção é ficar longe de pessoas que estejam com sintomas característicos do resfriado.

As formas de contágio são:

  • espirros e tosses das pessoas infectadas, que liberam partículas virais;
  • compartilhamento de utensílios domésticos;
  • permanecer em um ambiente com pouca circulação.

As medidas alimentares — como a ingestão de vitamina C ou o uso de fortificantes — não protegem os indivíduos de se contaminarem. Entretanto, as pessoas que apresentam resfriados frequentes (mais de 5 episódios ao ano) devem investigar uma possível baixa de imunidade.

Resfriado e gripe são duas doenças diferentes, que precisam ser entendidas para não causar confusão. Como ambas são viroses, o conjunto de enfermidades causadas por vírus, e possuem a mesma forma de transmissão, são comumente confundias.

Entretanto, enquanto a primeira é mais branda e necessita apenas de tratamento sintomático, a segunda apresenta maior gravidade, demandando cuidados mais intensivos para não desenvolver no indivíduo complicações respiratórias importantes.

Agora que você já esclareceu suas dúvidas sobre gripe, resfriado ou virose, aproveite e leia também este post: Sente cansaço excessivo? Saiba o que pode ser!

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *