Furunculose: o que é e como tratar?

Frequentemente somos surpreendidos por alguns problemas de pele que, embora nem sempre tragam maiores complicações, podem ser bastante incômodos e desagradáveis.

Isso ocorre principalmente no verão, quando a oleosidade da pele aumenta, mas também não é raro que aconteçam em qualquer época do ano. E a furunculose é um desses problemas.

Diversas pessoas já sofreram com furúnculos, mas nem todo mundo sabe ao certo o que é a furunculose, quais são suas reais causas e sintomas — e sequer conhecem o tratamento apropriado. Você é uma delas? Então confira este artigo e esclareça todas as suas dúvidas.

O que é a furunculose e o que é furúnculo?

A furunculose é caracterizada por um quadro de repetição e concomitância de vários furúnculos. O furúnculo é uma lesão dermatológica que consiste em uma inflamação do folículo piloso e da glândula sebácea anexa por causa infecciosa. Ou seja, o local onde o pelo cresce pode infeccionar e causar essa lesão.

O furúnculo surge em forma de um nódulo endurecido, doloroso, avermelhado e quente. Evolui naturalmente para um abscesso com pus e material necrótico no interior, combinação que é chamada popularmente de “carnegão”. O tamanho do furúnculo pode variar de acordo com a profundidade do tecido infectado.

Essas lesões costumam aparecer em maior número nas regiões do corpo que possuem mais pelos. Também é comum naquelas que ficam usualmente mais expostas a situações de pressão, atrito e umidade, como as partes que estão sempre cobertas por roupas. A exposição a substâncias gordurosas também facilita a obstrução do folículo.

Em linhas gerais, coxas, nádegas, face, pescoço e axilas são mais comumente acometidos pelo problema. A evolução, na maioria das pessoas, tende a ser benigna, mas podem ocorrer algumas complicações, como a disseminação da infecção, quando não há o devido cuidado e busca por assistência médica.

Quando esse tipo de contaminação acontece em unidade de pelo e nas glândulas próximas, formando um bloco único e profundo com diversos pontos de pus, a lesão recebe o nome especial de carbúnculo ou antraz. Esse tipo de situação ocorre em especial na área da nuca.

Principais causas da furunculose 

Furúnculos são quase sempre causados por uma bactéria chamada Staphylococcus aureus. Ela é frequentemente encontrada na pele e na cavidade nasal de humanos saudáveis.

Portanto, a causa do problema se dá, justamente, por uma situação que favorece o desenvolvimento exacerbado desse micro-organismo oportunista.

Como dito, o calor, a umidade excessiva e os maus hábitos de higiene geram um ambiente mais favorável ao furúnculo. Casos recorrentes de furunculose podem estar associados a um estado de saúde precário, com a baixa da imunidade.

Fatores de risco da furunculose

Embora qualquer indivíduo possa desenvolver o problema, existem alguns fatores de risco que contribuem para que esses incômodos nódulos de pele surjam.

O contato físico com pessoas que estejam com furúnculo, e a falta de higiene, são bons exemplos, pois favorecem a contaminação de outras áreas com as bactérias presentes na ferida.

Pessoas com diabetes também são mais suscetíveis à furunculose, pois seu sistema imunológico está prejudicado e, muitas vezes, o organismo não consegue combater adequadamente as bactérias da pele.

Pacientes imunodeprimidos, como portadores de HIV ou em uso prolongado de corticoides, têm o risco aumentado significativamente. Em linhas gerais, a obesidade e a presença prévia de doenças de pele, como acne e foliculites, também elevam a incidência dessas lesões.

Diagnóstico da furunculose

O diagnóstico é basicamente obtido pelo exame dermatológico associado ao histórico clínico. Ele deve ser feito por um profissional de saúde, mas exames complementares dificilmente são necessários.

No entanto, mesmo antes de buscar ajuda profissional, não é propriamente difícil identificar o problema. Sobretudo porque o furúnculo é maior e bem mais dolorido do que a acne ou um cravo comum, por exemplo.

Sintomas da furunculose e como tratar o problema

Os sintomas da furunculose são bem característicos, mas podem ser confundidos com outras afecções de pele. A manifestação mais comum decorrente do problema é a dor na região afetada, com o surgimento de um caroço endurecido e com pus na região central.

Para tratar o furúnculo, não é recomendado tentar espremer o nódulo por conta própria. Além de ser muito dolorido, isso pode agravar o problema. A drenagem do material, entretanto, pode ocorrer de maneira espontânea, o que acontece na maioria dos casos, ou ser feita cirurgicamente em casos mais graves.

Isso resultará na eliminação do “carnegão” e, consequentemente, no alívio da dor. Terminada a etapa de recuperação da pele, uma mancha escura pode permanecer no local da infecção, deixando uma pequena cicatriz.

É importante ratificar que pessoas sem preparo e em ambiente inadequado jamais devem espremer um furúnculo. Apenas um profissional habilitado pode fazer o procedimento de forma segura, menos dolorida e reduzindo as chances de gerar uma marca indesejada no local.

Em algumas situações específicas, pode ser necessário fazer a administração de alguns medicamentos, como antibióticos de uso tópico ou por via oral. Mais uma vez, isso só deve ser feito sob orientação médica, especialmente para evitar que as bactérias desenvolvam resistência às substâncias ministradas.

A aplicação de calor no local costuma acelerar o processo de eliminação do material, então, compressas quentes são a medida mais adequada de tratar em casa. Caso não surta efeito, busque ajuda médica.

Recomendações para evitar a furunculose

Existem algumas dicas que podem ajudar qualquer pessoa a evitar a temida furunculose. É importante, por exemplo, manter a mãos limpas e lavadas, para evitar e disseminação do Staphylococcus aureus em outros locais do corpo.

Também é imprescindível evitar trajes muito justos ou de tecido sintético, que dificultam a evaporação do suor e aumentam o atrito.

Procure caprichar na higiene corporal, e troque as vestimentas de uso pessoal e as roupas de cama com frequência, pois elas poderiam ser veículos involuntários de transmissão dessa infecção.

Caso você desenvolva o problema, evite coçar o local da lesão e ter contato direto com o pus para não levá-la para outras áreas da pele.

Como você pode ver, embora os furúnculos sejam bastante comuns e possam atingir qualquer pessoa, é possível evitar esse incômodo tão dolorido por meio de algumas atitudes bastante simples e efetivas.

Agora você aprendeu tudo o que precisava saber sobre a furunculose? Gostou desse conteúdo? Então assine a nossa newsletter!

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *