Entenda os diferentes tipos de procedimentos e exames do coração

O coração é um dos órgãos mais importantes do corpo, sendo responsável pelo bombeamento de sangue rico em oxigênio e nutrientes para todas as células do organismo.

Assim, qualquer doença cardíaca pode afetar o funcionamento de todo o corpo, necessitando de um diagnóstico rápido, por meio da realização de alguns procedimentos.

Quer entender um pouquinho mais sobre os exames do coração? Então continue a leitura e confira!

VEJA TAMBÉM NOSSOS EBOOKS:
Check-list: o que fazer antes de começar uma atividade física?
Guia completo para emagrecer com saúde
Guia das vitaminas e minerais
Guia prático sobre vacinação
Guia prático para ter uma gravidez tranquila e saudável 

Quais são os principais procedimentos e exames do coração?

Saturação de oxigênio

O teste de saturação de oxigênio mede a quantidade do elemento presente no sangue, que alcança as extremidades do corpo. Isso é feito por meio de um aparelho com luz infravermelha, o oxímetro, que se encaixa na ponta do dedo.

Quando o coração não está funcionando muito bem e não consegue bombear o sangue adequadamente, o sangue oxigenado não chega à periferia do corpo. Com isso, a medida de saturação de oxigênio cai. Nesses casos, é comum também que o paciente fique com as extremidades azuladas, a cianose, indicando a falta de sangue.

Nos recém-nascidos, a medida da saturação de oxigênio é chamada de teste do coraçãozinho, sendo realizado em todos os bebês nos primeiros dias de vida. Nas crianças mais velhas e nos adultos, a saturação de oxigênio costuma ser feita durante o exame físico no consultório médico, além de fazer parte da rotina de internação hospitalar.

No entanto, vale ressaltar que a saturação de oxigênio não é um exame muito específico e nem sempre indica que o problema está no coração, já que doenças pulmonares e anemias também podem reduzir a quantidade desse gás no sangue.

Eletrocardiograma

O eletrocardiograma (ECG) é um dos exames cardíacos mais comuns, já que permite uma boa avaliação do coração de forma rápida, indolor e barata.

Para a realização do exame, o paciente deve ficar deitado na maca e o profissional de saúde precisa posicionar diversos eletrodos no tórax e nos membros do paciente. Após a conexão com o eletrocardiógrafo, cria-se um desenho que mostra as variações dos potenciais elétricos em várias regiões do coração, o ritmo e a frequência dos batimentos.

Embora o exame, geralmente, seja feito pelo técnico de enfermagem, o resultado do eletrocardiograma deve ser sempre interpretado pelo médico, permitindo um diagnóstico preciso de infarto, arritmias ou sobrecarga cardíaca, por exemplo.

Ecocardiograma

O ecocardiograma é, basicamente, um ultrassom do coração, que dá ao médico a oportunidade de visualizar o órgão e diagnosticar alterações anatômicas ou de fluxo.

Para a visualização adequada do fluxo sanguíneo, é necessário o uso do doppler, que mostra a origem e o destino do sangue dentro do coração. Por meio disso, é possível diagnosticar as alterações nas válvulas cardíacas, que causam os famosos sopros, por exemplo.

O exame pode ser realizado de 2 formas!

1. Ecocardiograma transtorácico

É um exame simples, no qual a sonda de ultrassom é pressionada contra o tórax do paciente para permitir a visualização do coração. Durante o procedimento, o médico pode pedir ao paciente para respirar fundo, deitar de lado ou alterar sua posição para permitir a visualização de diferentes áreas do coração.

Em geral, o exame transtorácico é excelente para a visualização dos ventrículos, que estão posicionados na frente do coração, logo abaixo das costelas.

2. Ecocardiograma transesofágico

O aparelho do ecocardiograma transesofágico parece o da endoscopia, mas é capaz de emitir ondas sonoras iguais à sonda de ultrassom. Geralmente, o paciente é sedado para que não exista desconforto durante a passagem do aparelho pela boca e seu posicionamento no esôfago, pouco antes da chegada ao estômago.

Como a sonda está atrás do coração, o exame transesofágico permite uma melhor visualização dos átrios.

Teste ergométrico

O teste ergométrico avalia a capacidade do coração de suprir as necessidades do corpo em situações de estresse por meio de um exame de ECG contínuo durante a realização de um esforço físico (caminhada ou corrida na esteira).

Quando o fluxo de sangue nas artérias coronárias — responsáveis pela irrigação do próprio coração — está comprometido, algo muito comum em pessoas obesas ou que não praticam atividades físicas, o teste ergométrico costuma vir alterado, indicando uma maior chance de infarto.

Apesar de a intenção ser justamente forçar o corpo até o seu limite, o exame é feito em um ambiente supervisionado e preparado para imprevistos, sendo considerado extremamente seguro.

Holter 24 horas

O exame de holter nada mais é do que um eletrocardiograma que dura 24 horas. Os eletrodos são posicionados no tórax do indivíduo e retirados apenas no dia seguinte. Enquanto isso, o aparelho armazena as informações geradas nesse intervalo de tempo.

Ao final do exame, os dados são enviados para análise e o médico responsável procurará sinais de arritmias durante o período.

Cateterismo

O cateterismo é tanto um exame para diagnóstico quanto uma forma de tratamento. Através da artéria femoral na virilha, é colocado um cateter no sistema sanguíneo em direção ao coração.

Uma vez que o cateter está nas artérias coronárias, injeta-se iodo para que esses vasos se tornem visíveis na tela do aparelho e qualquer obstrução seja identificada. Caso a artéria esteja obstruída, já é possível liberar o fluxo por meio da inserção de um stent.

Tomografia ou ressonância cardíaca

Tanto a tomografia quanto a ressonância conseguem gerar imagens nítidas do coração, permitindo a visualização de toda a sua estrutura. A diferença está na forma que a imagem é gerada, já que a tomografia utiliza radiação para isso e a ressonância utiliza magnetismo, sendo contraindicada em pacientes que possuem marcapasso, parafusos, próteses ou outros objetos metálicos no corpo.

Quando fazer esses exames?

Com exceção do teste do coraçãozinho (saturação de oxigênio), que deve ser realizado em todos os bebês após o nascimento, mesmo naqueles saudáveis, todos os outros exames são realizados apenas sob indicação médica. Assim, eles não fazem parte da rotina de check-up como a mamografia, mas são feitos apenas quando há suspeita de alguma alteração porque o paciente se sente muito cansado, por exemplo.

Dá para fazer esses exames em serviços particulares?

Depende. A saturação de oxigênio não demanda um equipamento caro ou uma técnica complexa, sendo realizada como parte habitual do exame físico e sem qualquer custo ao paciente.

Já exames mais complexos, como o cateterismo ou a tomografia, demandam equipamentos de ponta e profissionais especializados na técnica, o que encarece o custo do exame e, praticamente, torna inviável a sua realização de forma particular. Em momentos assim, ter um plano de saúde é essencial para que você possa cuidar bem do seu coração sem desembolsar quantias elevadas.

Ainda tem dúvidas sobre alguns exames do coração? Então deixe aqui o seu comentário!

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *