Entenda como acontece um acidente vascular cerebral e como preveni-lo

Popularmente conhecido como derrame, o Acidente Vascular Cerebral, ou simplesmente conhecido pela abreviação AVC, é uma das principais causas de morte não só no Brasil, mas em todo o mundo.

No país, são registradas cerca de 68 mil ocorrências fatais por ano. A boa notícia é que a maioria dos fatores de risco são controláveis. Isso significa que, grande parte dos casos, podem ser evitados a partir de simples mudanças comportamentais.

Pensando nisso, preparamos este artigo com o intuito de explicar um pouco mais sobre as condições e as características de um AVC. Vamos falar melhor sobre como ele ocorre, como identificar os sintomas e quais são as medidas necessárias para evitá-lo.

A prevenção continua sendo o melhor remédio e é importante ter informações que ajudem a saber como proceder em casos de emergência. Continue a leitura e confira!

VEJA TAMBÉM NOSSOS EBOOKS GRATUITOS:
Check-list: o que fazer antes de começar uma atividade física?
Guia completo para emagrecer com saúde
Guia das vitaminas e minerais
Guia prático sobre vacinação
Guia prático para ter uma gravidez tranquila e saudável 

O que é um Acidente Vascular Cerebral?

O Acidente Vascular Cerebral, AVC, acontece quando o sangue não chega a determinadas regiões do cérebro. A falta de nutrientes e de oxigênio, que seriam providos pela corrente sanguínea, compromete a funcionalidade dos neurônios.

Associado anteriormente aos idosos, o derrame já não está exclusivamente ligado à idade, se tornando mais frequente também em adultos. Hábitos comportamentais e, em especial, alimentares, também têm exercido grande influência no aumento dos casos de AVC.

Os chamados grupos de risco merecem atenção redobrada. Entre eles, estão:

  • idosos;
  • hipertensos;
  • diabéticos;
  • obesos;
  • portadores de doenças cardíacas;
  • fumantes;
  • sedentários.

Existem dois tipos de AVC: o isquêmico e o hemorrágico. O primeiro é o mais comum e resulta da obstrução de uma artéria, impedindo a chegada do sangue em partes do cérebro. O segundo é caracterizado pelo rompimento de um vaso sanguíneo, comprometendo também o fluxo do sangue nesse órgão.

As consequências de um Acidente Vascular Cerebral são determinadas pela região do cérebro afetada. As sequelas podem ser leves ou graves, assim como temporárias ou definitivas. Danos físicos, perda de força, comprometimento da fala e da habilidade são sequelas bastante comuns.

Como identificar os sintomas?

A rápida identificação dos sintomas de um Acidente Vascular Cerebral é fundamental para o tratamento do caso. Além disso, o tempo é importante na avaliação dos danos e no impedimento da ocorrência de sequelas mais graves.

Cada minuto pode ser relevante, pois quanto mais tempo o cérebro passar sem oxigênio, mais neurônios podem ser danificados e, consequentemente, maior será a lesão do órgão.

Portanto, não perca tempo! Caso você sinta alguns dos sintomas que listamos abaixo ou presencie algum familiar nessas situações, dirija-se a um hospital especializado imediatamente para uma avaliação precisa do caso. Lembre-se também que apenas um profissional da saúde está habilitado a fornecer o tratamento adequado. Seja cauteloso com o autodiagnóstico e jamais se automedique!

Fique atento aos seguintes sintomas, em especial se você estiver entre os grupos de risco:

  • dor de cabeça intensa e repentina;
  • fraqueza nos membros;
  • assimetria facial associada à dificuldade de sorrir ou mover os lábios normalmente, por exemplo.
  • dificuldade de compreensão e de elaboração de frases;
  • visão turva, associada ao desequilíbrio ou a uma tontura;
  • dificuldade para engolir;
  • perda de sensibilidade, normalmente em um dos lados do corpo (a pessoa tem dificuldade em diferenciar ou identificar o frio e o calor, por exemplo);
  • sonolência exacerbada e, até mesmo, perda de consciência.

Como é a recuperação após um Acidente Vascular Cerebral?

A recuperação após um AVC é lenta e exige muita paciência, tanto da vítima do derrame quanto de seus familiares. Em muitos casos, uma rede de suporte emocional se faz necessária e tem papel determinante na melhora do paciente.

Dependendo das sequelas deixadas pelo derrame, o paciente pode precisar do acompanhamento de um fisioterapeuta. Sessões de terapia psicológica também são boas opções, uma vez que a depressão está associada ao período de recuperação após um AVC. O sentimento de revolta e a dificuldade em aceitar as rápidas mudanças sofridas pelo corpo podem levar à reclusão e ao isolamento do paciente.

As incontinências urinária e fecal também são comuns após um derrame. O paciente não consegue controlar totalmente seus esfíncteres e pode precisar da ajuda de um profissional nesses casos.

A estimulação cognitiva e sessões com um terapeuta de fala também podem auxiliar o paciente de um derrame a reduzir as confusões mentais e recuperar a capacidade de se expressar. Quanto mais cedo o tratamento for iniciado, maiores serão as chances de recuperação e mais tranquila a reabilitação.

Como prevenir um AVC?

Como falamos o Acidente Vascular Cerebral já não é uma preocupação exclusiva de idosos. Atualmente, a doença está bastante associada a hábitos comportamentais, como o consumo desmedido de fast-foods e a falta de exercícios físicos. Ainda assim, isso é uma boa notícia, uma vez que esses fatores de risco podem ser controlados.

A ingestão de comidas gordurosas pode causar o entupimento dos vasos sanguíneos, dificultando a circulação do sangue e de seus nutrientes no cérebro. Reduzir a ingestão de sal e o consumo de álcool são atitudes que também colaboram na prevenção de um AVC.

O sedentarismo é outro fator de risco. A realização de atividades físicas regulares reduz não só as chances de um AVC, como também o desenvolvimento de diversas outras doenças.

Com relação aos grupos de risco, a hipertensão causa uma sobrecarga no bombeamento do sangue, cuja principal consequência é a fragilização das artérias. Já os diabéticos precisam adotar uma alimentação adequada e, o acompanhamento médico contínuo, se faz bastante necessário.

O Acidente Vascular Cerebral é uma das causas mais frequentes de morte e de incapacidades na população adulta brasileira. A prevenção é o principal foco das campanhas do Ministério da Saúde, uma vez que alguns dos fatores de risco são comportamentais.

Invista em uma vida saudável! Pratique exercícios físicos, tenha uma alimentação balanceada, incentive seus familiares a também adotarem esses hábitos e veja os resultados disso em uma vida longa e repleta de bem-estar.

Gostou de saber mais sobre o que causa um Acidente Vascular Cerebral e como preveni-lo? Então aproveite para assinar a nossa newsletter e receber mais conteúdos como esse diretamente em seu e-mail!

 

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *