Distúrbios do sono: saiba quais são os principais e como resolvê-los

É impossível ignorar a importância do sono, ainda mais em um mundo tão corrido. Afinal, ele proporciona diversos benefícios para o nosso corpo, como:

  • ajuda a prevenir os quilinhos extras;
  • melhora a qualidade de vida;
  • fortalece o sistema imunológico;
  • evita dores de cabeça;
  • melhora os relacionamentos afetivos.

No entanto, sabemos que ele pode ser interrompido por vários distúrbios do sono. Assim, o que parecia uma noite tranquila acaba se tornando um grave problema.

Se você acha que esse é o seu caso, fique calma. Neste artigo, vamos mostrar quais são as principais perturbações noturnas e como tratá-las corretamente. Interessado? Então, continue lendo e confira!

VEJA TAMBÉM NOSSOS EBOOKS:
Check-list: o que fazer antes de começar uma atividade física?
Guia completo para emagrecer com saúde
Guia das vitaminas e minerais
Guia prático sobre vacinação
Guia prático para ter uma gravidez tranquila e saudável 

O que são distúrbios do sono?

Provavelmente, você já teve dificuldades para manter um longo período de sono. Para se ter uma ideia, um em cada dez indivíduos sofrem com distúrbios do tipo. E, devido ao grande número de pessoas atingidas, isso já é considerado um problema de saúde pública.

Grosso modo, o sono tem quatro fases, e cada uma corresponde a uma atividade diferente. Assim, problemas em qualquer uma dessas etapas podem trazer prejuízos não só para a nossa vida pessoal, mas também para a profissional.

Quais são seus riscos?

Uma noite mal dormida traz sérias consequências para a nossa vida. Dentre elas:

  • déficit de atenção;
  • sonolência;
  • diminuição da libido;
  • problemas graves de saúde (doença cardíaca, ataque cardíaco, insuficiência cardíaca, entre outros);
  • prejuízo à saúde da pele;
  • depressão;
  • aumento do peso.

Nesse sentido, para não colocar a sua saúde em risco, o ideal é dormir cerca de oito horas ao dia, pelo menos.

Quais são as fases do sono?

Fase 1

É a alteração da vigília para o sono e contempla 10% da noite. Ao escurecer, há liberação da melatonina no organismo, que facilita a sonolência e inicia esse processo.

Fase 2

Corresponde a 45% da noite. Aqui, os ritmos cardíacos e respiratórios começam a reduzir. Além disso, os músculos relaxam, a temperatura corporal diminui e você entra na etapa do sono leve.

Fase 3

Envolve 25% do sono. Agora, o corpo já está mais lento e o metabolismo cai. Aos poucos, o coração passa a bater com ritmo desacelerado e a respiração fica mais leve.

Fase REM

Esse é o ápice do sono, ou seja, a fase mais profunda, e abrange 20% da noite. Nela, temos os sonhos, a adrenalina quase não existe no sangue e ocorrem picos tanto de pressão arterial como de batimentos cardíacos.

Os obstáculos que podem impedir a nossa tranquilidade noturna costumam causar mais problemas nessa fase, que nem sempre é finalizada corretamente. Nesse caso, a saída é procurar ajuda — e continuar lendo este artigo para descobrir os principais vilões do sono.

Como saber se sofro de algum distúrbio do sono?

Identificar os motivos pelos quais ocorrem as perturbações do sono é o primeiro passo para dormir tranquilamente. Então, vejamos agora como cada um age em seu corpo:

Pernas inquietas

É quando temos uma vontade incontrolável de movimentar as pernas em virtude de situações estranhas ou desagradáveis que ocorrem durante a noite. Esse caso pode ser tratado com o uso de medicamento, de acordo com os hábitos de cada paciente — especialmente em relação a idade, severidade e frequência.

Sonambulismo

Muitas vezes, esse distúrbio de sono é levado na brincadeira, pois, enquanto está dormindo, a pessoa pode sentar na cama e começar a falar sem parar. E a situação se torna ainda mais curiosa quando ela caminha pelo quarto ou pela casa, de olhos abertos e com os braços estendidos.

Mas quem sofre com sonambulismo raramente se lembra das cenas do dia anterior. E o tratamento da doença é definido de acordo com a gravidade do caso, consistindo em três etapas:

  1. orientação;
  2. medidas comportamentais;
  3. medicamentos

Quanto ocorre já na fase adulta, é necessário fazer um diagnóstico com outras patologias neurológicas.

Insônia

Ao contrário do que muita gente imagina a insônia, em si, não é uma doença. Na verdade, existem diversos fatores que contribuem para que esse problema transforme sua noite em pesadelo:

  • uso de álcool, nicotina ou cafeína antes de dormir;
  • utilização da cama para outras atividades além do sono, como, por exemplo, assistir à televisão, ler, estudar, comer, planejar o dia, entre outras tarefas;
  • cama desorganizada;
  • medicamentos;
  • depressão;
  • trabalhar demais no computador;
  • estresse;
  • dor crônica.

De fato, se você sofre com esse problema, o uso de medicamentos pode ser a solução. Ainda assim, evite a automedicação, pois ela pode ter muitos efeitos negativos.

Ainda há outros recursos para se dormir melhor, entre eles estão a higiene adequada do sono, a psicoterapia e as técnicas de relaxamento.

Bruxismo

Esse distúrbio do sono é relativamente difícil de ser detectado. O ato de ranger ou apertar os dentes inconscientemente, por longos e contínuos períodos, não apresenta sinais claros para o paciente.

Se você divide a cama ou o quarto com alguém, pode perguntar para essa pessoa como é o seu comportamento durante a noite, para tentar descobrir o problema com mais facilidade.

Outra dica interessante é procurar um dentista para verificar a sua saúde bucal. Caso encontre alguma deformidade, esse profissional poderá indicar uma proteção dentária com placa de acrílico ou até o uso de ansiolíticos ou antidepressivos.

Sonolência excessiva

Nesses casos, a pessoa sente sono profundo a qualquer momento do dia. Para controlar a situação, basta usar medicamentos estimulantes — mas sempre com orientação médica.

Apneia do sono

Esse problema é nítido quando ocorre sonolência, dificuldade de concentração, irritabilidade, sintomas de depressão, entre outros sintomas. Se o caso não for grave, o tratamento pode ser realizado de diversas formas:

  • sugestões para a higiene do sono;
  • perda de peso para pacientes obesos;
  • avaliação das vias aéreas, isto é, da garganta e do nariz.

Em casos mais delicados, de moderados a graves, é preciso usar um aparelho denominado CPAP (Pressão Positiva Contínua de Ar) durante o sono. Ele é utilizado por meio de uma máscara nasal, na qual a pressão de ar positiva deixa as vias aéreas desobstruídas.

Terror noturno

O nome desse distúrbio já é assustador — e a situação também. A sensação é de medo intenso durante todo o sono. Nesses casos, o paciente fica sentado na cama, não respondendo a estímulos exteriores e tendo reações confusas e desorientadas ao ser acordado.

Em certos casos, também há amnésia após o episódio, como no sonambulismo. O fim desse desespero pode ser solucionado com tricíclicos e/ou benzodiazepínicos.

Como evitar esses distúrbios?

Bom, de fato, os distúrbios do sono podem ser evitados se você mantiver uma qualidade de vida saudável. Para isso, busque praticar atividades físicas ao longo do dia. Uma simples caminhada ou até a musculação já valem bastante.

Criar uma rotina de sono também é essencial para que o seu corpo se acostume com os seus hábitos diários. E, antes de dormir, evite o uso de celulares ou outros aparelhos eletrônicos, pois eles estimulam a atividade cerebral e desregulam o relógio biológico.

Quanto a isso, a regra é se desligar e aproveitar o momento da melhor forma possível. Se persistirem os sintomas, procure o seu médico ou invista em um plano de saúde para acompanhar o caso com mais frequência.

Enfim, gostou do post? Agora, depois de conhecer as principais informações relacionadas aos distúrbios do sono, que tal curtir a nossa página no Facebook e ficar por dentro de mais curiosidades importantes para a sua saúde e a da sua família?

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *