Como iniciar o uso de anticoncepcional?

Mais do que prevenir uma eventual gravidez indesejada, o uso adequado de anticoncepcionais hormonais pode ser fundamental para que as mulheres tenham uma boa qualidade de vida e possam seguir com independência, tranquilidade e segurança — tanto na sua vida pessoal e amorosa, quanto na profissional.

Mais do que um mero medicamento, as substâncias prescritas possuem um papel preponderante para que exista uma redução das cólicas, para que o ciclo fique ajustado e muito mais. Você ainda tem dúvidas sobre o uso da pílula anticoncepcional? Então confira o conteúdo a seguir e aprenda tudo sobre o tema!

VEJA TAMBÉM NOSSOS EBOOKS:
Check-list: o que fazer antes de começar uma atividade física?
Guia completo para emagrecer com saúde
Guia das vitaminas e minerais
Guia prático sobre vacinação
Guia prático para ter uma gravidez tranquila e saudável 

Como funciona a pílula anticoncepcional?

Embora seja uma medicação muito utilizada em todo o planeta, muitas pessoas não sabem ao certo o que é a pílula anticoncepcional e como é o seu funcionamento para evitar uma gravidez indesejada. Em suma, trata-se de um medicamento hormonal que regula o ciclo menstrual das mulheres.

A sua principal função é inibir a ovulação, ou seja, fazer com que não aconteça o amadurecimento e a liberação natural mensal do óvulo. Além disso, o muco cervical torna-se mais espesso, dificultando a locomoção dos espermatozoides. Dessa forma, criam-se obstáculos para a fecundação do óvulo por eles.

Vale destacar que os métodos hormonais, apesar de muito eficazes para contracepção, não protegem contra transmissão de doenças sexualmente transmissíveis e devem sempre estar associados a métodos de barreira para prevenção delas.

Quais são os tipos de anticoncepcional hormonal no mercado?

Os anticoncepcionais hormonais possuem algumas diferenças entre si e cada alternativa deve ser estudada e indicada de maneira única para cada mulher. Por isso, é imprescindível contar com o auxílio de um médico de confiança na hora da escolha e do acompanhamento, para possíveis adequações na medicação e avaliação dos riscos.

As pílulas mais utilizadas são as combinadas, que possuem dois tipos de hormônio: o estrogênio e a progesterona. A quantidade constante deles, diferentemente dos picos do ciclo natural, faz com que não haja estímulo para produção de FSH (Hormônio folículo estimulante) e LH (hormônio luteinizante), que tornariam possível a fertilidade feminina.

Existem também as pílulas simples, cuja formulação contém apenas um hormônio, geralmente proveniente da progesterona. As pílulas de progesterona — ou minipílula — possuem menos efeitos colaterais e são mais indicadas para quem têm um histórico prévio de tromboembolismo, má circulação nas pernas, problemas cardiovasculares, hipertensão, lactantes, fumantes, obesas ou mulheres com mais de 35 anos.

Além disso, as combinações de hormônios podem existir no formato oral, com uma grande variedade de dosagens e composições, e nas versões injetáveis mensais e trimestrais, que são mais indicadas para mulheres que ficam com náuseas, distúrbios gastrointestinais, fazem uso de outras medicações ou têm intolerância gástrica à ingestão dos comprimidos.  

Há risco de gravidez com o uso do anticoncepcional?

O anticoncepcional é o método mais seguro para evitar uma gravidez indesejada e, caso a mulher faça o uso adequado da medicação dentro das doses e dos prazos estabelecidos pelo fabricante e recomendados pelo seu médico de confiança, as possibilidades de uma gestação acidental são praticamente nulas.

Mesmo durante a pausa de uma cartela para outra, a segurança é exatamente a mesma, pois esse período é previsto pela própria ação do medicamento no organismo. O único problema pode ocorrer quando há o esquecimento de algum comprimido ou outras falhas no tratamento, comprometendo a sua eficácia.

Qual é o melhor dia para começar a tomar anticoncepcional?

O melhor dia para começar a tomar anticoncepcional é o primeiro da menstruarão, ou seja, quando ela desce. Caso a menstruação já tenha acabado, o ideal é esperar pela do mês seguinte, até porque começar em qualquer dia pode causar irregularidades no ciclo. 

Há risco de problemas durante a pausa?

A pausa que a mulher dá entre uma cartela e outra é motivo de muitos questionamentos. No entanto, é interessante frisar que muitas das intercorrências nesse período são comuns e não comprometem a eficácia do método. É normal, por exemplo, que a menstruação venha em menor quantidade e isso não tem, necessariamente, significado clínico.

Mesmo que não haja o sangramento imediatamente ao se iniciar a pausa, não é sinal absoluto de gravidez e, mesmo que o sangramento seja persistente, a mulher pode voltar a tomar o seu anticoncepcional normalmente no momento de retornar à cartela. Para quaisquer dúvidas que surjam, você deve procurar um ginecologista.

Existe problema em emendar uma cartela na outra?

Muitas mulheres emendam uma cartela na outra para que, com isso, não menstruem. Isso é cada vez mais comum por conta da praticidade que a atitude confere às usuárias desse tipo de medicação, especialmente em dias tão corridos do ponto de vista profissional e pessoal.

Em linhas gerais, não há grandes problemas em fazer isso se o medicamento adequado for utilizado e existir uma orientação médica. Entretanto, apesar de ajudar bastante com os sintomas pré-menstruais e menstruais, a mulher pode apresentar sangramentos de escape. No entanto, a proteção contra a gravidez permanece com a mesma segurança.

Qual é o melhor horário para tomar anticoncepcional?

Essa decisão deve se basear em vários fatores e ser feita de maneira individualizada, priorizando o que será mais prático para cada mulher. Em termos de eficácia da medicação, o fato é que ela pode ser tomada a qualquer hora do dia, sem que isso traga nenhum tipo de prejuízo para o tratamento.

É muito importante que os comprimidos sejam tomados sempre no mesmo horário do dia, pois isso evita a diminuição dos seus efeitos. Boas dicas são colocar um alarme diário no seu aparelho de celular, guardar a cartela em um local de fácil acesso e associar a ingestão da pílula a hábitos comuns, como antes escovação dos dentes, em algum período de sua dieta habitual ou na hora de alguma outra atividade fixa.

Também é bastante interessante evitar a ingestão dos comprimidos em jejum, pois isso pode facilitar o surgimento de náuseas, mal-estar ou dores no estomago, caso a pessoa já tenha predisposição para esses efeitos colaterais.

E agora, aprendeu tudo sobre o uso do anticoncepcional? Gostou deste conteúdo? Então que tal conferir o nosso outro artigo do blog que fala sobre a prevenção do HPV?

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *