Candidíase: saiba o que é e como tratá-la

Ninguém gosta de ficar doente — isso é fato. Quando falamos de infecção, por exemplo, não existe uma pessoa que gostaria de sentir esses sintomas, mas eles estão mais próximos de nós do que imaginamos.

A candidíase é um excelente exemplo, principalmente porque segue afetando homens e mulheres em todo o mundo. Embora a contaminação sexual seja a mais conhecida, o fungo pode atingir outras áreas do corpo também, trazendo muito desconforto.

Ficou curioso? Entenda mais sobre o assunto e suas formas de tratamento no post de hoje!

VEJA TAMBÉM NOSSOS EBOOKS GRATUITOS:
Check-list: o que fazer antes de começar uma atividade física?
Guia completo para emagrecer com saúde
Guia das vitaminas e minerais
Guia prático sobre vacinação
Guia prático para ter uma gravidez tranquila e saudável 

O que é candidíase, afinal?

A candidíase é uma infecção causada pelo fungo Candida, sendo Candida albicans o mais comum. Ele pode atingir pele, corrente sanguínea, unha, garganta, boca e órgãos genitais. Embora as mulheres sejam mais afetadas, é sempre bom lembrar que os homens também podem sofrer de candidíase.

As infecções se manifestam nas respectivas regiões quando o paciente apresenta alguma defasagem no sistema imunológico. Isso significa que o corpo estava consideravelmente fragilizado e, por isso, não conseguiu combater a atuação do fungo.

No caso da candidíase vaginal, por exemplo, a presença da cândida é normalmente combatida pelas bactérias benéficas que ficam na região. Quando não conseguem manter o fungo sob controle, ele se alastra.

Quais são os sintomas mais comuns?

Como as pessoas são bem diferentes, é natural que cada uma apresente um sintoma diferente. Esse aspecto pode também mudar cada vez que você sofre com a infecção, ou seja, a primeira vez pode ser bem diferente da segunda, por exemplo — tendo um perfil mais leve, moderado ou até mais avançado.

Candidíase vaginal

O principal sintoma, nesse caso, envolve uma grande coceira na região íntima. Essa é uma sensação terrível e que traz muito desconforto para quem está infectado. Somado a isso, é normal sentir ardência na região da entrada da vagina, inchaço nos grandes lábios e corrimento branco grumoso — sendo esse último o sintoma que torna o diagnóstico mais fácil. 

Essa infecção não é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), mas pode provocar um desconforto na hora do relacionamento sexual. Ainda assim, o contato sexual também pode facilitar o contágio, então é bom tomar cuidado. 

No caso da infecção masculina, nem sempre é possível perceber os sintomas, mas quando a mulher está infectada, é bem provável que o homem também esteja.

Candidíase na pele

A infecção da pele também traz coceiras e irritações. Algumas regiões costumam ser mais afetadas, principalmente as que apresentam pregas, como virilhas, atrás do joelho, pescoço e umbigo. A pele costuma ficar avermelhada e apresentar ardor.

Em outros casos, o mesmo fungo pode afetar as unhas dos pés ou das mãos, mas nesse caso, é conhecido como micose. A infecção pode ganhar um ar mais sério e causar dor, deformação ou até mesmo um aumento da espessura da unha.

Candidíase na boca

Os principais sintomas da candidíase na boca envolvem aftas ou boqueira — e se você pensa que isso é bobagem, não sabe o desconforto que podem trazer. Elas podem afetar a língua, a parte interna e, até mesmo, o céu da boca, trazendo dor e aquela sensação nada agradável. 

Como você deve imaginar, esse ponto também significa o aparecimento de placas brancas e fissuras no canto da boca.

Quais são as opções de tratamento?

Esse é um tópico muito importante, principalmente para quem sofre com a infecção. O melhor tratamento pode variar um pouco dependendo da região afetada. Ainda assim, não tem como fugir de um aspecto: quem está infectado precisará apostar nos remédios antifúngicos.

As opções mais comuns são o Fluconazol e a Nistatina e a aplicação pode ser em comprimido, pomada ou solução oral.

No caso da candidíase oral, o paciente também deve aumentar a higienização da boca, pois isso impacta diretamente a ação do fungo. É importante também evitar o consumo de álcool, alimentos açucarados e cigarro.

Já a candidíase genital exige cuidados especiais. A mulher e/ou o homem devem usar pomadas ou comprimidos vaginais ou orais — tratamento que vai de 3 a 7 dias de duração. Nesse tempo, o contato íntimo também deve ser evitado e a roupa íntima usada precisa ser de algodão, porque assim a região consegue ventilar melhor.

No caso da pele e das unhas, a pomada ou loção (como a Diflucan) devem ser usadas de 3 a 6 meses, dependendo da gravidade da infecção. Para ter resultados melhores, é importante evitar umidade, não andar sem sapatos, trocar as meias e secar bem as regiões infectadas.

Esse tipo de tratamento é o mais comum e pode evitar maiores implicações, como quando o fungo afeta o sangue. Nesse caso, o procedimento é feito no hospital e, muitas vezes, é necessário tomar remédios na veia por 14 dias.

Quando chega a esse ponto, é fundamental também controlar o consumo de doces e carboidratos, já que eles são um prato cheio para a proliferação da cândida.

O que provoca?

Existem alguns fatores que podem favorecer o aparecimento da candidíase. O uso de antibióticos é um deles, já que pode desregular as bactérias saudáveis da vagina e tornar o ambiente mais receptivo ao aparecimento da candidíase.

O aumento dos níveis de estrogênio também pode influenciar. Mulheres grávidas ou que tomam pílulas de estrogênio têm suas chances potencializadas e devem ficar de olho para tratarem a infecção logo no começo. 

Como falamos acima, o consumo de doces e carboidratos também atuam como agravantes, já que o pH se torna mais ácido e favorece o desenvolvimento do fungo. Isso sem contar que a glicose pode ser um grande alimento para a Cândida, ajudando sua proliferação.  

Os locais e roupas úmidas são outro ponto que podem interferir bastante, já que o fungo prefere ambientes úmidos — e, justamente por isso, a vagina é um local tão propício para o seu aparecimento. Nadar e ficar com a roupa molhada pode ser uma péssima atitude, por exemplo.

Para fechar, noites mal dormidas, dietas desequilibradas e estresse também podem favorecer seu aparecimento.

Agora que você já entende melhor o que é a candidíase, as principais causas e sintomas, não deixe de se prevenir. Procure o tratamento adequado o mais rápido possível e não sofra com o desconforto que esse fungo pode trazer. 

Para acompanhar essas e outras dicas sobre como cuidar de você, curta nossa página no Facebook. Temos conteúdos fantásticos por lá!

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

4 Comentários

    1. Blog BEM SAUDÁVEL

      Oi Monica,
      Obrigado pelo apoio! 😉 Sua opinião é muito importante para nós.
      Assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades do blog!
      Abraços,
      Equipe Blog Bem Saudável

      Responder
    1. Blog BEM SAUDÁVEL

      Oi Murilo, como vai?

      Agradecemos o seu elogio, sua opinião é muito importante para nós!
      Assine nossa newsletter e continue acompanhando nossos artigos 😉

      Abraços,

      Equipe Blog Bem Saudável.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *