Afinal, o que é a úlcera e quais são suas causas?

Você sente dores no estômago ou queimação no peito? Está sobrecarregado e parece que as dores não vão embora? Diversas doenças aparecem ligadas diretamente ao estresse e às nossas preocupações e podem atacar diretamente nosso estômago, entre elas está a úlcera.

Esse é um nome comum que ouvimos diariamente, mas, muitas vezes, não entendemos o que significa. Hoje descobriremos tudo o que precisamos saber sobre essa enfermidade: pelo o que é causada, se existe cura definitiva, quais os sintomas e complicações e muito mais!

O que é a úlcera?

É uma ferida que pode aparecer em diversas partes do corpo e, de acordo com o local, recebe um nome diferente. Na boca, é denominada afta, no sistema digestivo, úlcera gástrica ou péptica.

Quando a camada de muco que protege a parte interna do estômago fica mais fina, os ácidos utilizados para a digestão, passam a corroer as paredes do órgão causando inicialmente uma inflamação local que se não tratada a tempo pode se desenvolver e vir a piorar gerando uma ferida denominada úlcera gástrica.

Essa condição pode atingir qualquer idade, sexo, etnia, classe social ou ocupação profissional. Ou seja, todos nós estamos sujeitos a desenvolver tal afecção.

Pelo quê pode ser causada?

Existem diversas causas para a úlcera, entre elas está a predisposição genética, passada de pai para filho. Contudo, o uso contínuo de anti-inflamatórios não esteroidais, como a aspirina e o ibuprofeno, também podem levar ao aparecimento dessa injúria.

O estresse é um grande responsável! Além de outras consequências prejudiciais que ele pode trazer, estimula a liberação de ácidos estomacais em excesso, o que leva ao ataque das paredes do órgão.

A bactéria H. pylori age da mesma forma e investe contra a mucosa gástrica, corrói o tecido ali presente e leva à dores abdominais.

Quais os principais sintomas e como é diagnosticada?

Os sintomas da úlcera são conhecidos e devem ser investigados por um médico competente. Mas os principais incluem:

  • dor estomacal forte que desaparece ao comer;

  • sensação de queimação entre o tórax e o umbigo;

  • perda de peso;

  • anemia e seus sintomas: cansaço, dificuldade de respirar e palidez;

  • diminuição do apetite;

  • vômitos levemente ensanguentados;

  • fezes escurecidas ou com presença de sangue.

O diagnóstico é feito por um procedimento denominado endoscopia. Este exame necessita sedação, ou seja, anestesia, e consiste na introdução de uma câmera pela boca para visualizar toda a parte interna do trato digestório.

A inserção desse dispositivo dá ao médico uma visão clara do caminho pelo qual o alimento passa para ser digerido. É um método muito eficaz que permite a análise de toda a parede interna do órgão digestório superior. Ali qualquer injúria será visualizada.

Existem complicações?

A úlcera gástrica, se não tratada, pode trazer sérias complicações como a penetração, quando ela invade a parede do trato digestivo até um outro órgão, como o pâncreas. Ou perfuração, caso crie um buraco na parede do estômago. Obstrução, se ela bloquear a passagem do alimento pelo inchaço ou inflamação.

Essas complicações podem ser evidenciadas pelo aparecimento de sangue nas fezes e no vômito, dificuldade de respiração, fraqueza e dor estomacal repentina que não cessa.

De qual maneira ela pode ser prevenida?

1. Faça uma dieta adequada

A alimentação influencia positiva e negativamente nos sintomas de gastrites e úlceras, já que pode neutralizar a acidez no estômago ou acentuá-la. Um bom plano alimentar deve aliviar muito as dores e desconfortos sentidos durante o tratamento e podem até prevenir o aparecimento da enfermidade.

Evitar bebidas como café, chá preto, refrigerante e álcool é essencial para prevenir úlceras, já que essas substâncias estimulam a produção de ácido no estômago.

2. Coma suas refeições mais devagar

A quantidade exagerada de comida tem efeitos negativos sobre o funcionamento do seu sistema digestivo. Comer mais devagar e mastigar bem é uma maneira de preparar o estômago para receber o alimento.

Com isso, o fluxo de sangue nos órgãos digestivos aumenta e eles conseguem trabalhar de maneira mais adequada; evitam-se desconfortos abdominais e a sensação de saciedade aparece na hora certa, e não depois de já estar cheio.

3. Evite comer antes de dormir

O ideal é comer no mínimo, 2 horas antes de ir se deitar. Assim, quando for dormir, o alimento já terá sido digerido.

4. Beba bastante água

A hidratação é essencial para o bom funcionamento do organismo como um todo. Pelo menos 2 litros de água são necessários para manter o equilíbrio corporal. Esse líquido, ao contrário de leite, café e álcool, não aumenta a produção de ácido e evita a queimação

5. Reduza o estresse

Um dos maiores males do nosso século é o estresse e a ansiedade. Ambos contribuem para a diminuição do sistema imunológico, e desregulam nossas atividades corporais.

6. Pare de fumar e diminua a exposição à toxina

Um grande fator de risco à vida é o tabagismo. As incontáveis substâncias tóxicas do cigarro ajudam no desenvolvimento de danos estomacais sérios. Elas podem induzir gastrites.

Esse hábito aumenta a taxa de recorrência de úlceras e infecções, o que não é nada bom para a nossa saúde.

7. Suspenda o uso de anti-inflamatórios não esteroidais

Converse com o seu médico para a indicação de outro tipo de medicamento, ou diminua a ingestão das aspirinas e remédios dessa classe. O doutor deverá prescrever alguma droga menos prejudicial à mucosa gástrica, algum antiácido ou inibidor de bomba de prótons que leve à melhora dos sintomas.

Como pode ser tratada?

Se você acha que possui uma úlcera, chame seu médico e juntos discutam os sintomas para encontrar o melhor tratamento. A intervenção dependerá da causa da doença.

Antibióticos e medicamentos

O antibiótico será indicado caso a úlcera seja causada pelo H. pylori. Ele será associado a uma outra droga inibidora de bomba de prótons, ou IBP, que bloqueará a produção de ácido estomacal.

Em associação à este tratamento, podem ser administrados bloqueadores do receptor H2, que também impedem a produção de ácidos gástricos.

Antiácidos podem ser prescritos a fim de diminuir os sintomas e os incômodos, mas mesmo que os sinais de doença sumam, não é aconselhável tomar qualquer droga sem consultar um médico, especialmente no caso de infecção bacteriana.

Cirurgia

Em casos raros, uma complicação da úlcera pode exigir intervenção cirúrgica. Geralmente ocorre em recorrências, quando há sangramento ou perfuração, ou se ela se alastra em direção ao intestino delgado.

Existe uma cura definitiva ou não?

As úlceras gástricas são facilmente curadas se o tratamento for bem feito. A intervenção deve durar aproximadamente 2 meses e o problema deve desaparecer, contudo os cuidados de prevenção devem ser tomados para que a enfermidade não volte.

E ai? Entendeu no que consiste a úlcera, quais seus sintomas e tratamentos? Tome cuidado, pois nem toda dor no abdômen é resultante dessa lesão. Veja, a seguir, quais doenças têm dores na barriga como um sintoma.

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *