6 coisas que você precisa saber sobre microvarizes

Se você já parou para analisar a perna, então é bem provável que já tenha visto algumas “veias” fininhas e meio arroxeadas, certo? Em grande parte dos casos se tratam das microvarizes — que são muito comuns, mas ainda muito desconhecidas. Se você não acredita, pergunte para as pessoas mais próximas de você e perceba como o tema ainda é pouco abordado.

Foi pensando nisso que criamos uma postagem completa sobre o assunto. Aqui você encontra um panorama completo com as principais perguntas sobre o assunto e se informa de forma consistente. Confira!

1. Afinal, o que são as microvarizes?

As microvarizes são pequenos vasos dilatados que ficam abaixo da pele, normalmente na região da gordura dos membros inferiores. Elas costumam ter um perfil tortuoso e contam com dimensões pequenas, normalmente com cerca de 3mm.

De maneira bem simples, elas são veias fininhas que costumam ter o aspecto final de uma teia de aranha. Existe muita controvérsia em cima do nome, já que, mesmo sendo pequenas, elas são visíveis a olho nu e não são microscópicas.

De uma forma geral, elas não trazem nenhum tipo de desconforto físico, mas podem comprometer a região esteticamente. Mesmo que bem discretas, podem ser percebidas e atrapalhar o desejo que muitas pessoas têm de terem pernas bonitas. Embora a coloração roxa seja a mais comum, elas também podem apresentar um perfil mais azulado.

2. O que causa essa situação?

As microvarizes podem aparecer por vários motivos, mas alguns são mais comuns. Veja:

Genética

As microvarizes podem ser mais propensas em quem tem uma genética favorável. Desse modo, quem tem os pais ou outros parentes de primeiro grau com as veias dilatadas pode apresentar uma chance superior de desenvolver a mesma situação.

Mulheres

O sexo feminino também sofre mais com essa realidade. Isso acontece porque o estrogênio (hormônio feminino) favorece a dilatação dos vasos, o que resulta no surgimento das microvarizes.

Gestação

O período de gestação também envolve cuidados especiais. Como o volume abdominal está consideravelmente mais alto e, com ele, temos um ganho de peso, é natural que o corpo apresente dificuldade no retorno venoso.

Além disso, essa situação causa o aumento do fluxo sanguíneo circulante. Desse modo, as veias se dilatam e as microvarizes aparecem. Como na gravidez existe uma alta circulação de estrogênio, outro ponto que favorece o aparecimento de varizes, essa época também é mais propensa.

Altas temperaturas

O calor estimula a vasodilatação e, por consequência, as microvarizes. Além disso, esse tipo de clima favorece o acúmulo de sangue nos vasos da perna.

Sedentarismo

As pessoas sedentárias também ficam mais vulneráveis. Querendo ou não, a prática de exercícios físicos ajuda a estimular a musculatura da perna e fazer com que o sangue volte com mais facilidade para o coração. Além disso, essa é uma maneira de reduzir os riscos de microvarizes.

Pílula anticoncepcional

Para fechar, as pílulas anticoncepcionais também podem influenciar. Como são ricas em estrogênio, seu uso aumenta o risco de vasinhos.

3. Qual o risco para saúde?

O principal incômodo que a microvarizes traz é relacionado a estética, mas está longe de ser só isso. Ela funciona também como um indício da insuficiência venosa, criando um sinal de alerta para os envolvidos.

Embora sejam raros os casos em que as consequências ficaram mais graves, é sempre bom ficar de olho, principalmente se elas se desenvolvem e tornam-se varizes. Nesse último caso, quando ficam calibrosas, elas podem provocar tromboses, embolias pulmonares e outros desgastes que podem ser fatais.

4. O que fazer para prevenir?

Depois de entender um pouco mais sobre o assunto é bem provável que você esteja se perguntando como pode se movimentar para evitar esse cenário, certo? Pois bem, a melhor forma de prevenção envolve um afastamento dos fatores de risco.

Seja uma pessoa que se exercita, procure mudar de posição e evite lugares muito quentes. No caso das mulheres os cuidados devem ser levados ainda mais a sério, pois elas são um grupo de risco.

Caso tenha alguma dúvida, procure a orientação de um angiologista — o famoso médico responsável pelas doenças dos “vasinhos”.

5. Quais são os sintomas mais comuns?

Além da aparência física, as pessoas que sofrem com microvarizes podem apresentar outros sintomas comuns. Entre os mais comuns estão dor, cansaço e uma sensação de peso nas pernas.

Somado a isso, pode ser que a pessoa também perceba inchaço, câimbra, dormência e outros sinais desse tipo. Esses sintomas e o exame físico são mais que o suficiente para um diagnóstico completo.

6. Como tratar?

O tratamento das microvarizes deve ser feito por um profissional especializado e com experiência. O método mais comum envolve a indicação de meias especiais que promovam a compressão do lugar. Essa é uma forma eficiente de evitar que o sangue se acumule nas pernas — o que reduz o inchaço.

Além disso, o paciente pode adotar o uso de certos medicamentos que melhoram muito o fluxo venoso. Assim a circulação acontece de forma facilitada e os efeitos são diminuídos.

Por fim, existe também a possibilidade de procurar por uma cirurgia para microvarizes, uma escolha que evita complicações que a doença pode trazer.

O procedimento é relativamente simples e oferece um baixo risco para o paciente, pois faz microincisões para retirar as veias dilatadas da perna. Tudo acontece em 24 horas e, na maioria das vezes, o paciente é operado de manhã e recebe alta no mesmo dia a noite ou na manhã seguinte.

O procedimento visa eliminar a dor e outros sintomas — além de evitar outras complicações, como falamos. Vale ressaltar que nada disso prejudica a circulação, pelo contrário, a favorece. Isso porque a cirurgia de remoção melhora a circulação do fluxo sanguíneo.

Depois de ter a resposta para várias perguntas sobre microvarizes ficou bem mais fácil entender um pouco melhor do assunto, não é mesmo? Fique atento a qualquer sinal que seu corpo der e tome as providências para evitar o agravamento.

E aí, gostou do nosso conteúdo? Então acompanhe esse e muitos outros nas nossas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram e Twitter. Nos encontramos por lá! ​

 

Powered by Rock Convert

Sobre Blog BEM SAUDÁVEL

Este blog é uma iniciativa da Unimed Belém e, o seu conteúdo, é voltado para orientar e inspirar pessoas que buscam uma vida mais saudável, feliz e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *